Comando afasta PMs que amarraram suspeito de furto com cordas em Pirajuí

0
Ex-presidiário foi amarrado com cordas na calçada mesmo já estando imobilizado: inquérito da PM vai investigar a conduta dos policiais — Foto: Reprodução/TV TEM

G1 Bauru/Marília

Um dia após a repercussão causada pela veiculação de um vídeo nas redes sociais que mostra policiais militares amarrando com cordas um suspeito de furto, a corporação informou que afastou os oficiais de suas funções.

O caso aconteceu no último dia 20, mas ganhou destaque nesta quinta-feira (28), após a Justiça cobrar da PM explicações sobre as imagens que mostram a ação dos policiais que amarram o homem mesmo ele já estando com as mãos e pés imobilizados
m nota, a Polícia Militar informou que a ação dos policiais “não condiz com o que está preconizado no POP (Procedimento Operacional Padrão) e não retrata a forma como a Polícia Militar atua na detenção de presos”. O texto afirma ainda que, na audiência de custódia, o homem detido “não ofereceu nenhuma queixa em relação aos militares”.

A PM disse ainda que o comando da corporação vai instaurar um Inquérito Policial-Militar (IPM) para apuração dos fatos. Além disso, a nota acrescenta, que “os policiais foram afastados das atividades operacionais enquanto perdurarem as investigações”.

O caso

Segundo o boletim de ocorrência, o suspeito foi preso em Pirajuí por roubo no mesmo dia que ganhou liberdade após cumprir pena por roubo e receptação na Penitenciária de Balbinos.

Segundo a Polícia Civil de Pirajuí, Diego Henrique Ribeiro, de 27 anos, furtou o celular que estava dentro de um carro na Rua Sete de Setembro. O dono do carro viu, perseguiu o suspeito e lutou com ele.

A Polícia Militar foi chamada e o vídeo divulgado nas redes sociais mostra o ex-presidiário caído no asfalto, já algemado e com os pés amarrados por uma fita plástica.

Em seguida, os policiais usam uma corda para amarrar as mãos e as pernas do suspeito antes de colocá-lo dentro da viatura. Segundo o BO, o celular foi localizado dentro da cueca do suspeito.

Ficha médica apresentada pela Polícia Civil mostra que o ex-presidiário sofreu várias lesões pelo corpo e passou por atendimento na Santa Casa da cidade antes de ir para delegacia.

Em audiência de custódia, a juíza do caso decretou a prisão preventiva de Diego Ribeiro, que está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru.