Camada de espuma volta a se formar em trecho do Rio Tietê em Salto

0
Espuma está próxima a barragem da cidade de Salto (Foto: José Maria/Arquivo Pessoal)

Espuma foi registrada perto da barragem da cidade, na manhã desta quinta-feira (26). Defesa Civil informou que não registrou ocorrências.

Uma camada de espuma branca voltou a aparecer no trecho do Rio Tietê, em Salto (SP), na manhã desta quinta-feira (26). De acordo com informações da ONG SOS Mata Atlântica, a falta de chuva na região pode ser um dos motivos para o aparecimento da espuma.

A espuma foi registrada próxima da barragem da cidade. Segundo um morador que passava pelo local, por volta das 7h30, a espuma atingiu cerca de quatro metros de altura.

Segundo a Coordenadora do SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro, com a falta de chuva o nível do rio diminuiu e, com isso, a capacidade dele de diluir os poluentes também está reduzida.

“A espuma é formada ao logo das corredeiras e pequenas cachoeiras que passam por Cabreúva e Itu e fica acumulada naquele trecho próximo a barragem. Se ventar ou chover, essa espuma corre o risco de ser espalhada pelo ar e levada para as casas”, disse à TV TEM.

Flagrante foi feito por morador por volta das 7h30 no Rio Tietê em Salto (SP) (Foto: José Maria/Arquivo Pessoal)
Flagrante foi feito por morador por volta das 7h30 no Rio Tietê em Salto (SP) (Foto: José Maria/Arquivo Pessoal)

A Defesa Civil informou que não registrou nenhum chamado ou informação sobre problemas causados pela espuma.

Em outras ocasiões, a espuma invadiu ruas e causou uma série de transtornos, como o forte odor que incomoda os moradores.

No mês de fevereiro, em uma situação parecida, a Sabesp afirmou que a espuma é resultado do fósforo presente nos produtos de limpeza – como detergentes e sabão em pó – e que precisa de oxigênio para degradar na água.

Espuma é resultado da poluição despejada no rio Tietê em Salto (SP) (Foto: Thiago Ariosi/TV TEM)
Espuma é resultado da poluição despejada no rio Tietê em Salto (SP) (Foto: Thiago Ariosi/TV TEM)

Esgoto doméstico

A formação de espumas, que ocorre frequentemente no Rio Tietê ao longo das cidades de Santana de Parnaíba, Salto e Pirapora do Bom Jesus, está relacionada à baixa vazão da água e presença de esgoto doméstico não tratado, o que dificulta a decomposição de detergentes domésticos.

A solução, segundo especialistas, seria a implantação de sistemas adequados de esgotamento sanitário, incluindo a coleta, afastamento, tratamento e disposição final dos esgotos domésticos.