Botucatu confirma primeira morte por gripe H1N1 em 2018

0
Vacinação está abaixo da meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (Foto: Cristine Rochol/PMPA)

Secretaria Municipal de Saúde de Botucatu (SP) confirmou nesta quinta-feira (21) junto ao Instituto Adolfo Lutz, os dois primeiros casos de gripe H1N1 em Botucatu, em 2018, e um deles evoluiu para morte.

No primeiro caso, um bebê de sete meses esteve internado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu e teve alta. No segundo, um jovem de 19 anos também foi internado no HCFMB, mas não resistiu e morreu. A família já foi comunicada sobre o diagnóstico.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe tem, desde a última segunda-feira (18) novos grupos alvos. Conforme determinação do Ministério da Saúde, crianças de 5 a 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos também serão imunizados. A campanha termina nesta sexta-feira (22).

Os demais grupos de risco (idosos, gestantes, puérperas, doentes crônicos, professores, trabalhadores da saúde e crianças de seis meses a cinco anos) continuam recebendo as vacinas.

“Apenas 74,5% da população de risco se vacinou contra a gripe, número abaixo da meta estipulada pelo Ministério da Saúde, que é de 90%. A situação das crianças é a mais preocupante, com apenas 44% de cobertura entre 6 meses a 5 anos de idade. Nos demais grupos temos a seguinte cobertura: gestante com 68%; trabalhador de saúde com 72%; idosos com 86%. Nossos postos estão abastecidos para atender a todos, portanto é muito importante o comparecimento as unidades de saúde”, comenta André Spadaro, secretário Municipal de Saúde.

Em Botucatu, apenas professores e puérperas foram atingidos totalmente pela Campanha de Vacinação.