Bauru vence Mogi fora de casa e mantém a liderança no Campeonato Paulista

0
Larry Taylor foi destaque na vitória do Bauru. Noite marcou reencontro com torcida de seu ex-clube (Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)

Em duelo equilibrado e reencontro de Larry Taylor com a torcida de Mogi, Bauru desequilibra nos minutos finais e garante a nona vitória na competição estadual

Mogi das Cruzes e Bauru travaram um duelo de muito equilíbrio na noite deste sábado, no Hugo Ramos. Brigando pela liderança do Campeonato Paulista, as equipes lutaram ponto a ponto no reencontro do armador Larry Taylor com a torcida de seu ex-clube, e o placar só foi definido apenas nos últimos minutos. No final, Bauru conseguiu aproveitar melhor as chances e ficou com a vitória por 69 a 61, deixando um gosto amargo para a cidade de Mogi, que completou 458 anos neste fim de semana.

Com esse resultado Bauru mantém a liderança do Campeonato Paulista, com nove vitórias e três derrotas. Mogi depende da combinação de resultados da rodada para saber sua posição, mas tem agora oito vitórias e quatro derrotas.

O cestinha da partida foi o pivô JP Batista, do Mogi, com 25 pontos. Do lado do Bauru, Larry Taylor fez prevalecer a lei do ex e foi o destaque, com 19 pontos, oito rebotes e seis assistências.

Na próxima rodada, Bauru vai receber a Liga Sorocabana, às 19h30, no Panela de Pressão. A partida está marcada para o dia 5. Já o Mogi vai jogar contra o Paulistano, no dia 6, às 19h30, novamente no Hugo Ramos.

Equilíbrio nos primeiros minutos e vantagem de Bauru

Os dois melhores ataques do Campeonato Paulista começaram a partida com muita velocidade, sempre buscando o ataque. Tanto que os primeiros minutos foram de equilíbrio no placar. Larry Taylor, em seu reencontro com o Hugo Ramos após deixar a equipe para jogar em Bauru, marcou logo cinco pontos para ajudar a equipe do interior paulista a conseguir uma pequena vantagem no placar. Mas a diferença era pequena, e as duas equipes seguiram alternando as ações ofensivas. Nos minutos finais, as bolas pararam de cair e o primeiro quarto terminou com vantagem do Bauru num placar magrinho de 16 a 13.

Mogi fez duelo equilibrado com Bauru, no Hugo Ramos (Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)
Mogi fez duelo equilibrado com Bauru, no Hugo Ramos (Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)

No segundo período, apesar de uma pontuação equilibrada, foi Bauru quem conseguiu deslanchar no marcador e abrir sete pontos de frente no início da parcial. A equipe aproveitava os espaços deixados pela defesa do Mogi para pontuar e respirar um pouco na partida, mas a resposta do time da casa era rápido. A partir dos cinco minutos, a partida ficou truncada, com muitas faltas. Mogi conseguiu encostar nos lances livres de JP Batista (24 a 22), e depois de uma sequência de tentativas, empatou novamente nas cestas de bonificação, com Gruber (26 a 26). A reação, porém, acabou. Mal no ataque (apenas 9 bolas convertidas de 37 no primeiro tempo) e na marcação, Mogi viu Bauru acertar a mão na linha dos três com Larry Taylor e Lucas Mariano, e aproveitar as bobeadas da marcação, especialmente com Renato, para fechar o primeiro tempo em 36 a 28.

Duelo segue equilibrado, mas Bauru resolve no final

Na volta do intervalo, as duas equipes mostraram intensidade. Bauru jogava mais tranquilo, e conseguiu abrir uma vantagem de dez pontos, mas o setor defensivo do time mogiano começou a funcionar. Com os espaços fechados para o adversário, o ataque da equipe da casa também fluiu. Por isso, Mogi conseguiu buscar a diferença, e virou a partida a três minutos do final do terceiro quarto (44 a 43) com Shamell. JP Batista converteu ainda mais dois pontos (46 a 43), obrigando o técnico Demétrius a pedir tempo. A parada deu certo, mas as duas equipes converteram poucas chances nos últimos minutos e a partida foi para o período decisivo com empate no placar: 46 a 46.

JP Batista foi o cestinha do Mogi na derrota para o Bauru pelo Campeonato Paulista (Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)
JP Batista foi o cestinha do Mogi na derrota para o Bauru pelo Campeonato Paulista (Foto: Antonio Penedo/Mogi-Helbor)

No quarto decisivo, a dinâmica do jogo seguiu igual: com equilíbrio e intensidade. Foi uma briga de quem conseguia aproveitar melhor as oportunidades, só que os dois times fizeram o contrário: desperdiçaram muitas cestas. Por consequência, ninguém conseguia abrir vantagem. Com pouco mais de quatro minutos para terminar o duelo o placar era igual (55 a 55). Só que, a partir daí, foi Bauru quem conseguiu respirar. O time visitante usava bem as faltas e, apesar dos erros, era quem acertava mais em quadra. Faltando um minuto, a vantagem de Bauru era de seis pontos (65 a 59). Guerrinha pediu tempo, mas o retorno não veio. O adversário teve mais concentração para conseguir segurar a vantagem e fechar a partida em 69 a 61.