Bastidores – Jair Viana

0

CORREGEDOR I

Para quem achava que os policiais militares que se deixaram fotografar ao lado de Jair Bolsonaro (PSL), candidato a presidente, fossem ser punidos, o corregedor da PM paulista, coronel Marcelino Fernandes, além de afirmar que não vai adotar medida alguma, também deixou claro que os policiais não cometeram nada grave.

CORREGEDOR II

Marcelino Fernandes, em entrevista ao site Ponte (www.ponte.org.br) explica que “tem dispositivo no regulamento”. Fernandes observou ainda que uma coisa é se manifestar e outra se posicionar. Em princípio, segundo o que deixa transparecer, o coronel não viu nada grave mesmo.

NA ROTA

O candidato Bolsonaro esteve até no Batalhão da Rota, em São Paulo. Circulando pela unidade, o candidato fez fotos com vários policiais, inclusive oficiais. Numa das fotos, ele aparece com uma camiseta da corporação.

PELO EM OVO

Na verdade, alguns veículos tentam achar pelo em ovo. A movimentação do presidenciável em Rio Preto, por questão protocolar, obrigatoriamente tem a escolta feita por policiais militares. O próprio candidato se coloca ao lado dos policiais para ser fotografado.

MAL E BEM

A entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional foi bem e foi mal. Os apresentadores estavam com uma pauta partidarizada, preparada para tentar derrubar o presidenciável. Perguntas repetitivas e sem razão de ser, tomaram conta do telejornal. Bolsonaro roubou a cena e deixou o apresentadores em xeque.

CANSATIVO

Tornou-se cansativo ver jornalistas questionando Bolsonaro sobre a pauta LGBT, se ele é ou não e homofóbico e ainda sobre a diferença salarial entre homens e mulheres. No principal telejornal do país, os apresentadores não fizeram uma pergunta nova. Horrível.