B.J.Perdões: Paulo Afonso vai a 35% e amplia liderança

0
Paulo Afonso (PSD) //Internet

Ex-prefeito sobe 5 pontos, chega a 35% e deve ser eleito no próximo domingo. Dr. Benedito cai 2 pontos e tem 21% das intenções; Sérgio Ferreira oscila na margem de erro e segue fora da disputa pela reeleição

O candidato a prefeito pelo PSD em Bom Jesus dos Perdões, Paulo Afonso, subiu 5 pontos na pesquisa de intenção de voto, chegando a 35% e ampliou a liderança no mais novo levantamento realizado na cidade pelo instituto Intelligence.

Paulo Afonso agora tem 14 pontos de vantagem para o segundo colocado, Dr. Benedito (DEM), que caiu dois pontos em relação à pesquisa anterior e aparece com 21%. O prefeito atual, Sérgio Ferreira (PSDB), que concorre à reeleição, oscilou na margem do erro e continua em terceiro, com 14% das intenções.
Sérgio Ferreira, é o que possui a maior rejeição do eleitorado, com 40% das menções negativas. Além da dificuldade com a alta rejeição, o prefeito disputa o pleito com bens bloqueados pela justiça, em ação movida pelo Ministério Público por suspeitas de irregularidades em licitação no valor de R$ 700 mil.
O segundo lugar em índice de rejeição é Dr. Benedito com 31%, seguido por Paulo Afonso com 12%.

A pesquisa ouviu 600 eleitores distribuídos em faixa etária de 16 a 60 anos, de renda e nível de instrução no dia 4 de novembro. A margem de erro é de 4% e o nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada no TSE sob o número SP- SP-07817/2020.

OUTROS – Os outros candidatos aparecem com as seguintes pontuações: Professora Mits Cássia 3% e Sargento Damasceno 2%. Votos brancos e nulos somam 12% e os indecisos foram a 13%.

REJEIÇÃO – Além de Sérgio Ferreira, com 40% de rejeição, Dr Benedito 31%, e Paulo Afonso 12%, Professora Mits Cássia tem 3% e Sargento Damasceno 4%; 10% não sabem ou não quiseram responder.

PESQUISA ANTERIOR: No levantamento anterior realizado pelo mesmo instituto na pesquisa estimulada, Paulo Afonso tinha 30%, Dr. Benedito 23%, Sérgio Ferreira 12%, Mits 2% e Damasceno 1.5%. Brancos/nulos somavam 11% e Indecisos 20.5%