Araçatuba registra novo caso de leishmaniose em humanos

0

Vítima é um homem de 54 anos que mora no bairro São Joaquim. Estado de saúde não foi informado pela prefeitura.

A prefeitura de Araçatuba confirmou, nesta sexta-feira (16), o segundo caso de leishmaniose em humanos registrado em 2018.

A vítima é um homem de 54 anos que mora no bairro São Joaquim. O estado de saúde não foi informado. O primeiro caso da doença registrado no dia 1º de fevereiro foi de um paciente de 3 anos.

Em 2017, nove pessoas foram diagnosticadas com leishmaniose e duas delas morreram.

A prefeitura informou que o Centro de Controle de Zoonoses está intensificando a coleta de sangue nos animais nos bairros onde houve registro da doença e orientando a população sobre a leishmaniose.

Transmissão

Transmitida pela picada do mosquito-palha, a leishmaniose é uma doença extremamente perigosa tanto para os seres humanos quanto para os cães.

O animal é o hospedeiro e o mosquito, o transmissor. Ele pica o cão infectado e depois pica o humano, transmitindo a doença. Nos humanos, os principais sintomas são febre prolongada e um volume desproporcional na região do abdômen.

Para combater o mosquito, a principal medida é evitar o acúmulo de lixo. Folhas úmidas, restos de alimentos, fezes de animais e outros materiais inservíveis servem de criadouro para o mosquito.

Veja mais notícias da região no Grupo Bom Dia