Aos 76 anos, avó supera próteses nos joelhos e inspira filha e neta com crossfit: ‘Tempos são outros’

0
Aposentada de Sorocaba faz crossfit duas vezes por semana (Foto: Carlos Dias/G1)

Aposentada de Sorocaba (SP) treina há três meses com adaptações. Instrutor afirma que idosos ganham fortalecimento e resistência muscular com os exercícios.

O tênis de corrida e a calça de ginástica contrariam o estereótipo de “vovó”, cujo dia é comemorado nesta quinta-feira (26). Aos 76 anos, a aposentada Ivone Gagliardo Alves, de Sorocaba (SP), superou duas próteses nos joelhos para inspirar a filha e a neta a praticarem crossfit – treino conhecido pela intensidade e movimentos funcionais.

Para a aluna, subestimar os limites do corpo é um pensamento antiquado. Há três meses, ela participa da atividade durante as manhãs de terças e quintas-feiras para movimentar as articulações, que foram enfraquecidas por uma osteoporose já superada.

“Passei pelas cirurgias e me recuperei super rápido. Fiquei poucos dias sem exercício só”, lembra.

Antes do treino puxado, a idosa caminhava, fazia natação e até musculação. No entanto, a repetição dentro de uma academia a fez seguir a tendência da filha, de 45 anos, e da neta, de 14, que, segundo ela, são “crossfiteiras”.

“Gosto de coisa nova. Aliás, todos [os exercícios] são bons, não desmereço nenhum deles, mas venho para a aula e não sei o que vai acontecer. Não tem rotina e são movimentos que pegam o meu corpo todo.”

Maristela Gagliardo, filha da aposentada, pratica crossfit há três anos com o marido e conta que se diverte com os comentários da mãe após os treinos. “Às vezes, ela diz que sente dor, mas dor gostosa de exercício. É muito fofa”, comenta.

A sequência de movimentos preparada pelos instrutores para a aposentada e outros três idosos é diferente da aplicada para o público mais jovem, segundo o instrutor Elton Hitoshi de Morais.

Na terceira idade, o trabalho é voltado para os alunos ganharem fortalecimento e resistência muscular. Os movimentos e pesos usados são para necessidades do dia a dia.

“O idoso fica mais independente e com menos dores nas articulações, que surgem com a falta de atividade física”, explica.

‘Tempos são outros’

A semana de Ivone é programada com atividades de segunda a sexta-feira. Para começar, uma aula de francês, seguida do treino na terça, “folga” na quarta, mais crossfit na quinta e sexta-feira dedicada à mente.

Mesmo com tantos afazeres, a avó afirma que sobra tempo para cuidar da casa e, principalmente, marcar presença na vida da neta, que a motivou a se aposentar e se dedicar à nova “função”, há 14 anos.

Neta (à direita) e filha (à esquerda) da aposentada também fazem crossfit (Foto: Arquivo pessoal)
Neta (à direita) e filha (à esquerda) da aposentada também fazem crossfit (Foto: Arquivo pessoal)

“Eu parei de trabalhar quando minha neta nasceu e disse para mim mesma: ‘agora vou ser avó’. Eu era coordenadora pedagógica e larguei a escola que eu já era aposentada. Não me arrependi. Fui avó com 62 anos”, conta.

Ivone não é a primeira da família a ter um lado atleta. Ela lembra que a mãe praticou natação até os 90 anos de idade e chegou ao ponto do clube não cobrar a mensalidade.

“Os tempos são outros. A gente tem que aproveitar as oportunidades como se fosse uma prevenção contra qualquer coisa que acontecer fisicamente. Tenho amigos que não conseguem tirar sacolas do carro. Então, a minha avó foi a última velha estilo ‘vózinha'”, brinca.

Idosos no Brasil

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na quarta-feira (25), apontou que a população brasileira está em trajetória de envelhecimento. Até 2060, um em cada quatro brasileiros será idoso.

A pesquisa mostra que, em 2039, o número de idosos com mais de 65 anos superará o de crianças de até 14 anos. Atualmente, a população com até 14 anos representa 21,3% dos brasileiros e cairá para 14,7% até 2060, segundo o IBGE.

A faixa entre 15 e 64 anos, que atualmente responde por 69,4% da população, cairá para 59,8% em 2060.

Avó inspira filha e neta a fazerem exercícios em Sorocaba (Foto: Carlos Dias/G1)
Avó inspira filha e neta a fazerem exercícios em Sorocaba (Foto: Carlos Dias/G1)