Acusados de matar casal a tiros em Araçatuba vão a júri popular

0
Amigos e parentes das vítimas se reuniram para júri popular (Foto: Reprodução/TV Tem)

Crime aconteceu dentro da casa do casal em 2014.
Eles vão responder por homicídio duplamente qualificado.

Dois dos três acusados de matar um casal a tiros dentro de casa em Araçatuba (SP), em 2014, estão sendo julgados nesta quarta-feira (8), no fórum da cidade.

O julgamento, que teve início por volta das 9h, deveria ter acontecido há um mês, no dia 8 de fevereiro, mas foi cancelado depois de uma jurada reclamar de ter sido escolhida para o júri. O oficial de justiça e o advogado ouviram a reclamação e levaram para o juiz, que remarcou o julgamento para esta quarta-feira (8).

Os acusados que serão julgados são Carlos Alberto Sales, de 55 anos, que seria o mandante do crime, e Emerson Ferreira Brito, de 41 anos, que seria o motorista responsável por ter levado o atirador até a casa das vítimas no dia do homicídio. Os dois vão responder por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem direito de defesa das vítimas. O crime prevê pena mínima de 12 anos e máxima de 30, podendo ser dobrada por se tratar de um crime com duas vítimas. Um terceiro acusado, Laire Antônio Neves Feltrin, não será julgado nesta quarta-feira (8), porque seus advogados recorreram e a Justiça analisa o pedido.

Entenda o caso
O crime aconteceu em outubro de 2014 na casa das vítimas, no bairro Jussara. A dona de casa Clarice Miranda, de 55 anos, e o marido dela, o aposentado Egídio Ribeiro, de 56, foram mortos a tiros durante um provável atentado contra o filho mais novo. Ele também estava no local, mas correu e se escondeu depois de ver o atirador.

Quando o criminoso entrou na casa encontrou o casal na sala e deu um tiro em Egídio e três em Clarice. De acordo com a polícia, um possível desentendimento entre o filho das vítimas e o ex-sogro, que é acusado de ser o mandante do crime, seria o motivo do ataque que terminou com a morte do casal.

DEIXE UMA RESPOSTA