Acusados de atacar carros-fortes em hipermercado são condenados a mais de 70 anos de prisão

0
Tentativa de assalto a carro-forte em Rio Preto teve dois mortos (Foto: Arquivo Pessoal/Arquivo)

Sentença foi divulgada nesta terça-feira (5). Três membros da quadrilha que participaram do crime morreram em tiroteio, dois foram presos e um permanece foragido. Caso foi em dezembro de 2016, em Rio Preto (SP).

Dois acusados de atacar dois carros-fortes em um tiroteio dentro de um hipermercado de São José do Rio Preto (SP), em dezembro de 2016 foram condenados, cada um, a 71 anos de prisão. A sentença foi divulgada nesta terça-feira (5).

Robson Godoy da Silva e Egberto Cardoso dos Santos foram presos por tentativa de latrocínio e organização criminosa. Outros três suspeitos morreram e um permanece foragido. A sentença cabe recurso e a dupla continua presa.

Acusados de atacar carros-fortes em Rio Preto são condenados a 71 anos de prisão
Acusados de atacar carros-fortes em Rio Preto são condenados a 71 anos de prisão

Acusados de atacar carros-fortes em Rio Preto são condenados a 71 anos de prisão

Segundo a Polícia Militar, os criminosos estavam armados com metralhadoras e renderam os funcionários de dois carros-fortes que chegavam para abastecer caixas eletrônicos do hipermercado Walmart. Segundo a polícia, um dos seguranças do estabelecimento atirou e os assaltantes revidaram.

Os criminosos correram e se espalharam pelo hipermercado. Fizeram todos os clientes e funcionários reféns por pelo menos duas horas, até serem liberados pelos ladrões. Nenhum consumidor ficou ferido.

O shopping vizinho ao hipermercado fechou as portas e os consumidores foram impedidos de sair por medida de precaução.

Clientes foram impedidos de sair de shopping em São José do Rio Preto (Foto: Arquivo Pessoal/Arquivo)

Durante o tiroteio, dois assaltantes foram mortos e um foi preso. Já durante a noite, a polícia invadiu o esconderijo do restante da quadrilha, quando um quarto suspeito foi preso e um quinto criminoso morreu. O sexto suspeito fugiu.

Por causa da ação criminosa, moradores começaram a receber mensagens em grupos de WhatsApp relatando uma onda de assaltos em vários locais da cidade. Cerca de 70% das lojas do Calçadão fecharam devido ao pânico.

Polícia concentrou buscas na região para localizar os criminosos após araque a carros-fortes em hipermercado de Rio Preto (Foto: Polícia Militar/Divulgação/Arquivo)