Açougueiro morto por garota de programa teve carro vendido por R$ 150, diz polícia

0
Açougueiro foi morto dentro de um quarto na zona norte de Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal

Vítima foi localizada morta em mato após se encontrar com garota de programa em Sorocaba. Grupo foi indiciado por latrocínio.

O carro do açougueiro de 55 anos morto dentro de um quarto na zona norte de Sorocaba (SP) teve o carro roubado e vendido por R$ 150, segundo a Polícia Civil. Francisco Correia da Silva foi encontrado morto em um matagal no Jardim Simus em abril deste ano.

Ainda de acordo com a polícia, após três meses de investigação, foram identificados sete envolvidos, sendo quatro indiciados por latrocínio, quando há roubo seguido de morte, e os outros pela compra do carro da vítima.

Um dos suspeitos de participação no assassinato é uma garota de programa com quem Francisco se encontrou.

O veículo foi localizado abandonado seis dias após o desaparecimento, no dia 29 de março, próximo ao Residencial Carandá.

De acordo com a investigação, o carro foi comprado por um morador do condomínio, retirado do estacionamento e abandonado à beira da Rodovia Emerenciano Prestes de Barros após os receptadores terem notícias de que se tratava de um veículo de uma pessoa desaparecida.

Eles tentaram queimar o veículo para apagar vestígios de DNA, mas foram denunciados. Com base no depoimento deles, a polícia localizou os verdadeiros autores do crime.

A polícia reuniu imagens de câmeras de segurança do dia 29 de março que mostram os homens empurrando o carro na saída do residencial, no Parque Manchester.

Dopado e morto

Francisco foi executado no dia 23 de março deste ano. Segundo o delegado Acácio Aparecido Leite, responsável pelo caso, no dia do crime, a vítima saiu do trabalho, no Centro, e abordou uma garota de programa, de 29 anos, na Avenida Ipanema.

De acordo com o depoimento dela à polícia, os dois foram para um quarto, onde a quantia de dinheiro na carteira da vítima chamou a atenção dela. Com a intenção de roubar o valor, ela colocou remédios na cerveja da vítima, que dormiu.

Em seguida, a suspeita saiu para comprar drogas, quando encontrou uma jovem e as duas foram comprar mais crack. Outros dois homens foram encontrados por elas e todos seguiram para o local onde Francisco dormia.

A intenção, segundo ela, era dopá-lo novamente, só que com injeção. A vítima teria acordado e acabou sendo agredida com socos e asfixiada com um travesseiro.

O corpo foi colocado em um carro e abandonado no Jardim Simus, em Sorocaba, onde foi encontrado uma semana depois. O carro foi achado abandonado na rua.

Três pessoas foram presas por receptação, mas respondem em liberdade. Uma adolescente foi apreendida e encaminhada à Fundação Casa. A garota de programa e mais duas pessoas foram presas pelo homicídio e pela ocultação do corpo. Francisco não era casado e tinha um filho.