0

Atacante vai para o Villarreal, da Espanha, e deixa Timão órfão. Com janela fechada, Cristóvão dá confiança a André e Luciano, mas vai buscar alternativa dentro do Brasil

Cristóvão Borges Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians)Sem Pato, Cristóvão analisa opções para o ataque (Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians)

A presença de Alexandre Pato por quase três semanas no CT Joaquim Grava freou a busca do Corinthians por um novo centroavante – necessidade detectada por Tite e reforçada por Cristóvão Borges assim que assumiu o clube.

A saída de Pato para o Villarreal obriga o Timão a retomar essa busca. Agora, porém, as opções no mercado são cada vez mais escassas.

Pato se reapresentou ao Corinthians no dia 5 de julho, quando a janela internacional de transferências para o Brasil ainda tinha mais duas semanas de vigência. Na época, o clube varria a América do Sul em busca de um homem-gol, mas trabalhava com a permanência do atacante.

Os principais nomes comentados foram os de Marco Ruben, Gustavo Bou e Nico López – este último acertou com o Internacional. Diego Tardelli, do Shandong Luneng, também despertou interesse do Timão depois que ele anunciou que não queria mais ficar na China.

Todas as conversas esbarraram em valores. A partir daí, Cristóvão Borges passou a pensar em Pato como centroavante e recebeu André de volta de lesão. A diretoria, então, passou a não tratar mais a contratação como prioridade.

A janela fechou no dia 19 de julho, quando Pato se preparava para reestrear pelo Corinthians. Seria contra o Figueirense, sábado passado, até o interesse do Villarreal se concretizar. Sem ele, há dois caminhos a serem traçados pelo clube.

Gustavo Criciúma x Náutico (Foto: Caio Marcelo/Criciúma EC)Gustavo, do Criciúma, que interessa, tem 11 gols na Série B (Foto: Caio Marcelo/Criciúma EC)

O primeiro, natural, é buscar outro nome para reforçar o ataque. Sem a janela internacional, a meta inicial está na Série B. Lá, alguns nomes chamam a atenção. O principal deles é Gustavo, do Criciúma, artilheiro da competição com 11 gols. Os valores, porém, são considerados altos para uma compra. O empréstimo é descartado pelos catarinenses.

Nomes com menos de sete jogos na Série A também foram monitorados, mas os preços são ainda mais proibitivos. A possibilidade de alguma negociação é mínima nesse sentido.

Assim, Cristóvão Borges pode partir para o segundo caminho: dar confiança a André, titular do setor e atualmente sem grande concorrência. Seu reserva imediato é Danilo, um meia, já que Luciano, outro atacante, tem treinado aberto pelos lados. Outra possibilidade é a do garoto Isaac, que treina com os profissionais, mas ainda não estreou pelo Corinthians.

O ataque do Timão tem 26 gols em 16 jogos pelo Campeonato Brasileiro. Com quatro gols, Romero, Bruno Henrique e Marquinhos Gabriel dividem a artilharia corintiana.

DEIXE UMA RESPOSTA