Rio Preto tem falta de vacina pentavalente nas unidades de saúde

0
Vacina pentavalente está em falta em Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)

Vacina imuniza bebês até 6 meses contra tétano, difteria, coqueluche, hepatite B. Outras cidades da região também sofrem com distribuição irregular.

A vacina pentavalente, que imuniza bebês contra tétano, difteria, coqueluche, hepatite B e Haemophilus Influenzae tipo B, está em falta nos postos de saúde de algumas cidades do noroeste paulista , e ainda não há previsão de quando as doses vão chegar. A proteção é necessária para bebês, que tomam três doses da vacina, aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Em São José do Rio Preto (SP) as geladeiras dos postos de saúde começaram a ficar vazias em maio. Atualmente nenhum dos 27 postos tem a vacina. Segundo a secretaria, a última remessa enviada pelo Estado foi um lote com 900 doses sendo que o município precisa de 1,4 mil doses por mês.

A médica pediatra Maria Carmem Monteiro de Carvalho disse que a falta de vacina pode deixar a criança desprotegida. “Principalmente nessa época do ano, com tempo seco com muitas viroses, muita doenças, então é importante evitar aglomeração como shoppings, supermercados”, afirma.

Em Araçatuba (SP), segundo a Secretaria de Saúde, ainda há doses nas 18 unidades de saúde da cidade, mas a secretaria não informou quanto tempo essas doses ainda vão durar no estoque. O problema em Araçatuba tem sido nas clínicas particulares. Nas três clínicas da cidade, a informação é que há um ano não recebem doses da vacina, segundo eles, por falta de um produto que é colocado na vacina.

Em Fernandópolis (SP), a Secretaria de Saúde afirma que até o dia 20 de junho o município tinha 45 doses. Até o momento não houve falta da vacina, porém há necessidade do recebimento de novas doses para que não falte.

Na cidade de Votuporanga (SP), a Secretaria da Saúde informou que não recebeu a vacina pentavalente neste mês de julho, já que as doses encontram-se em falta em todo o Estado de São Paulo.

De acordo com a secretaria, a orientação da Secretaria de Estado da Saúde é que as mães ou responsáveis realizem o agendamento prévio de datas para a vacinação de seus filhos junto à Secretaria Municipal para que, no momento em que as doses estiverem novamente disponíveis, as famílias sejam devidamente notificadas e, assim, possam encaminhar adequadamente as crianças aos postos de vacinação.

O repasse

As doses são repassadas pelo Ministério da Saúde para os Estados, que fazem a distribuição para os municípios. A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo cobra o Ministério da Saúde pela falta das doses. De acordo com a Secretaria, o Ministério não estaria enviando as doses desde abril. A Secretaria afirma que “o envio da pentavalente para São Paulo tem ocorrido com irregularidade e em quantidades insuficientes para a demanda mensal, que é de 200 mil doses”.

Segundo o Ministério da Saúde, 6 milhões de doses da vacina estão no Brasil e foram liberadas pela Anvisa, mas, deste total, apenas um milhão de doses foram distribuídas. O Ministério não se posicionou sobre o porquê deste número.

O Ministério da Saúde ainda afirma ainda que para São Paulo, foram encaminhadas 224,6 mil doses nesta semana, mas o Estado ainda precisa realizar a distribuição e a logística do serviço é complicada, e por isso, ainda não foi enviada aos municípios. As doses devem ser enviadas na semana que vem.