Rio 2016 se desculpa por falhas no acesso e promete solução rápida

0
Mark Adams, porta-voz do COI, e Mario Andrada, diretor de Comunicação do Rio 2016 (Foto: Richard Souza)

Primeiro dia de competições no Parque Olímpico é marcado por falhas na entrada dos torcedores, que chegam a perder o início das disputas

O comitê organizador dos Jogos do Rio reconheceu no fim da manhã deste sábado que uma série de falhas provocou problemas no acesso dos torcedores ao Parque Olímpico, principal área de competição da Olimpíada. De acordo com o diretor de comunicação do Rio 2016, Mário Andrada, melhorias serão feitas com urgência para solucionar as dificuldades.

– Temos problemas em algumas das estruturas, sobretudo no Parque Olímpico. Gostaríamos de pedir desculpas a todos que tiveram que ficar nas filas, no sol. Precisamos melhorar essa parte dos Jogos. Informamos às autoridades e pedimos ao Rio 2016 para que melhore o acesso do público. Esperamos que na próxima hora tudo esteja resolvido. Esperamos que as pessoas não percam as competições. Temos de resolver isso nas próximas horas – afirmou, durante conferência de imprensa do COI e do Rio 2016 no Parque Olímpico.

Ainda segundo o diretor de comunicação, o sistema conjunto de operações falhou. A revista minuciosa de segurança também foi apontada como causa para a demora.

– O principal problema que nós temos foi debatido hoje de manhã. Diz mais respeito ao processo e ao sistema. Temos Força Nacional, militares e o Rio 2016. Cada um tem processo diferente, se reportam para equipes diferentes. Isso não aconteceu na cerimônia de abertura no Maracanã. Demonstra que quando os sistemas estão conectados, os retardos são diminuídos.

Fila para entrar Parque Olímpico (Foto: Helena Rebello)Fila para entrar Parque Olímpico desde a descida da rampa do BRT (Foto: Helena Rebello)

Para amenizar a demora no acesso do público, os responsáveis pela revista na entrada do local deixaram que muitas pessoas passassem sem que suas bolsas e mochilas fossem vistoriadas. O porta-voz do Comitê Olímpico Internacional, Mark Adams, tratou como um episódio de exceção.

– A segurança é muito importante, mas a segurança tem de ser tratada pelo pessoal de segurança. São 85 mil tropas, quase o dobro de Londres se não me engano. Estamos bastante confiantes.

Mário Andrada afirmou que recentemente houve uma mudança no acesso dos profissionais de imprensa por conta dos problemas identificados.

– A mudança de empresas para acelerar o “mag and bag” (revista de bolsas no raio-x) começou com o MPC e IBC, porque os jornalistas estavam demorando demais a entrar. A despeito do fato que a coordenação é o maior problema no “mag and bag”, não achamos que está afetando negativamente o processo. Esperamos liberar as filas no parque nas próximas horas. Algum tempo na fila é aceitável, mas se você está na fila, não estará satisfeito. Precisamos garantir que os torcedores que compraram ingressos tenham um serviço adequado.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:

Problemas com transporte

Mark Adams, porta-voz do COI

Foi um problema que enfrentamos em muitas cidades anteriormente. Problemas no transporte não são bons, mas há em todos os Jogos, especialmente no começo. Há problemas em todos os Jogos, vão ser resolvidos e estamos olhando isso.

Mário Andrada, diretor de comunicação do Rio 2016

A maior parte das empresas, ou todas, foi contratada em tempo para serem treinadas, e os motoristas treinados e testados. Às vezes, as empresas selecionam gente que poderia estar melhor treinada. Não podemos confrontar os motoristas. 99% dos cariocas já foram ao Maracanã em algum momento das suas vidas. A operação de transporte na cerimônia de abertura foi julgada pelo COI como impecável.

Ausência de Pelé na cerimônia de abertura 

Mário Andrada, diretor de comunicação do Rio 2016

Pelé, como disse à mídia, foi convidado para acender a pira. Tínhamos um grupo, plano b, c, d e e, fomos informados que veio de cirurgia e precisaria de aprovação médica. Preparamos uma ajuda especial e decidimos esperar até o último momento, permitindo mais tempo para que melhorasse. Quando você olha para ele, parece bem, mas seu médico achou que precisava de maior precaução e estar em uma longa cerimônia não seria adequado. É importante que ele se recupere. O Pelé não precisa estar lá para ser visto como uma personalidade mágica, certamente para os brasileiros o maior atleta de todos os tempos.

Roubos a jornalistas nos arredor

Mário Andrada

Houve alguns furtos, não muito perto, porque era uma zona selada. Vamos checar e informaremos amanhã (domingo).

Nota da redação: segundo informações da Delegacia de Homicídios da Capital – DH, Ronaldo Fagner Marques de Souza, de 22 anos, foi morto na noite de sexta-feira, 5 de agosto, na Rua São Francisco Xavier, no Maracanã. Perícia detalhada foi realizada. As primeiras informações obtidas em investigação minuciosa iniciada no local apontam que Ronaldo praticava assaltos quando um policial militar de outro estado, trabalhando na segurança das Olimpíadas, teria reagido baleando-o. Diligências seguem em andamento.

DEIXE UMA RESPOSTA