Bastidores da Política

0

Por Leandro Mazzini 

colaboração Jair Viana 

Tentando

Com a disputa da presidência da Câmara bem distante, Fabio Marcondes tenta desesperadamente eleger Paulera para o cargo. Na mira da PF ele desistiu de seu projeto e vem cobrando a fatura de alguns vereadores reeleitos, com quem mantinha acordos.

Bolsa Junior

Segundo apurou a redação do BD, não apenas um fotógrafo teria recebido indevidamente o bolsa atleta, aparentemente, até mesmo alguns policiais estariam envolvidos no esquema montado pelo vereador Junior.

Voto

VOTO – Junior, um dos vereadores mais votados na última eleição, teve como principal estratégia de sua reeleição, o uso indevido do bolsa atleta.

Outro lado I

OUTRO LADO I – Os corredores de ônibus que estão em construção em Rio Preto, segundo o futuro coordenador de Mobilidade e Assessibilidade, Amauri Hernandes, estão do lado errado.

Outro lado II

OUTRO LADO OU – Segundo Amauri Hernandes, em todo o Globo terrestre, os corredores de ônibus são do lado esquerdo e não direito, como em Rio Preto.

Outro lado III

OUTRO LADO III – O problema dos corredores vai tomar Boa parte do primeiro semestre do futuro governo de Edinho Araújo. Se está errado, obviamente, e não se espera diferente, tem que ser revisto o projeto.

Exemplo

EXEMPLO – Imagine o motorista seguindo pela Bady Bassitt e tentando convergir à direita para subir pela Marechal.Ora, o ônibus que vai correr pela direita será o grande problema.

Talhado

TALHADO – O futuro subprefeito de Talhado, empresário Pedro Nímer, que é presidente do PMDB, terá muito trabalho. O Distrito foi riscado do mapa de Rio Preto pelo atual governo. Não tem nada por lá.

Odorico

ODORICO – Uma das lutas que Pedro Nimer disse que vai encarar, e será dura, refere-se ao cemitério. O existe no Distrito é usado para sepultar indigentes e restos mortais usados em pesquisas pela Famerp.

Inaugurar

INAUGURAR – Se construído o novo cemitério de Talhado, a segunda luta de Nimer será encontrar alguém para inaugurar a obra.

Oeste

OESTE – Quem visita Talhado, especialmente nos fins de semana, tem a sensação de que vai se deparar com Clint Eastwood, Joum Wayne? Giuliano Gemma e outros dos clássicos do Bang Bang. O Distrito está sem estrutura.

DEM em 2018

DEM EM 2018 – A manifestação do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que sugeriu a renúncia do presidente Michel Temer (PMDB), não deve ficar apenas nos anais do Senado Federal.

Presidência

PRESIDÊNCIA – Dentro do Democratas começa a ganhar força a ideia de que o partido patrocine candidatura própria à Presidência da República em 2018. E o nome mais forte é o de Caiado.

Pauta

PAUTA – Esta será a principal pauta da convenção nacional marcada para fevereiro, mês em que se prevê uma série de mudanças de lideranças dentro Congresso Nacional. Simpatizantes do senador goiano acreditam que até o final de 2017, Caiado terá 10% da preferência do eleitorado.

Dificuldades

DIFICULDADES -O Democratas sinaliza como será difícil para Michel Temer administrar sua base de apoio no próximo ano. O próprio PMDB planeja esse sonho que embala o PSDB, o PSB e até o PV.

Lava Jato

LAVA JATO – O chanceler José Serra tem aparentado tranquilidade diante das denúncias contra ele na Operação Lava Jato, mas foge de perguntas e do holofote da imprensa.

Preferência

PREFERÊNCIA – Talvez por isso tenha preferido ignorar a audiência da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, onde foi convidado a falar sobre a política externa brasileira e a suspensão da Venezuela do Mercosul.

Desagrada Deputados

DESAGRADA DEPUTADOS – A ausência anunciada às 2 horas da madrugada por telefone ao presidente da comissão, deputado Pedro Vilela (PSDB-AL), foi uma ducha fria para a maioria dos parlamentares, que classificaram o pouco caso do ministro a um “acovardamento”

Ausência

AUSÊNCIA – A ausência de Serra sem uma justificativa convincente deixou até os tucanos chateados. Muitos querem uma audiência com o ministro, mas são olimpicamente ignorados.
Nem para assuntos que interessam à sua pasta, Serra tem dado muita atenção. O ministro nem deu retorno aos insistentes pedidos para discussão do Orçamento para os consulados, que ficarão agora sem recursos em 2017.

DEIXE UMA RESPOSTA